nome blog

domingo, 14 de agosto de 2016

Resenha: Tudo e Todas as Coisas

Olá, gente bonita!!!
No começo desse mês eu fiz uma leitura bem rápida e maravilhosa e resolvi fazer resenha aqui no blog, afinal o mundo precisa saber sobre Tudo e Todas as Coisas.

 
Sinopse: "Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."

 

Nome do Livro: Tudo e Todas as Coisas
Título Original: Everything, Everything
Autor: Nicola Yoon
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 304
Gênero: Literatura Estrangeira | Drama | Romance
Skoob: Adicione


 

Resenha: Madeline é uma menina de 18 anos, que sofre de uma condição rara conhecida como "doença da criança na bolha". Por causa dessa condição, Maddie mora em uma casa toda adaptada e protegida contra qualquer tipo de vírus que o mundo exterior pode oferecer e nunca sai de casa.
Maddie cresceu sem amigos, tendo contato apenas com a mãe, que é médica, e com a enfermeira que a acompanha há bastante tempo. Ela vive em um mundo limitado por paredes e janelas de vidro por onde ela observa a vida lá fora, isso faz com que o conceito que ela tem de mundo seja apenas o que ela vê na internet e lê nos livros, algo bem mais inocente e utópico.
Por mais que Maddie odeie que as pessoas sintam pena dela, eu não consegui não sentir, principalmente com um desfecho totalmente surpreendente e impactante. É impossível não sentir empatia e se colocar no lugar de cada personagem do livro.

Os capítulos de Tudo e Todas as Coisas são curtos, alguns possuem apenas duas linhas, então apesar do livro ter 300 páginas, dá para fazer a leitura em um dia e de modo bem leve.
O livro é composto por muitas trocas de e-mail e ilustrações de gráficos para acompanhamento da Imunodeficiência Combinada Grave -- IDCG --, não possui erros de diagramação e é possível notar o cuidado da editora em todos os quesitos do livro: tradução, revisão, capa, diagramação, tudo MESMO.
É um livro dramático e fofo, cheio de metáforas e poemas, alegrias e tristezas, haicais e limeriques <3
"Minha culpa é um oceano no qual me afogo."
A leitura foi suave, engraçada, gostosa, rápida, dramática e... emocionante.
Esse é o primeiro romance da autora Nicola Yoon e está fazendo tanto sucesso que vai virar filme! YAY
Depois de uma estreia no mercado editorial tão incrível como essa, estou super curiosa para ver o que a Nicola reserva para nós no futuro.


Avaliação:
 
Quotes:


"O meu aniversário é o dia do ano em que mais nos damos conta da minha doença. É a noção da passagem do tempo que faz com que nos sintamos assim. Outro ano inteirinho de doença, sem nenhuma esperança de cura no horizonte."
"Tudo é um risco. Não fazer nada é um risco. A decisão é sua."
"Mas a diferença entre saber e ver pessoalmente é a diferença entre sonhar que está voando e voar de verdade."
"A vida é um dom. Não se esqueça de vivê-la."

Mantendo o Coração Puro

"Não pense que por não ser uma assassina em série ou por nunca ter roubado um banco você não tem nenhum pecado que confessar. Não pense que por ter andado com o Senhor durante anos e ter frequentado a igreja regularmente, seja participando de cultos, seja de reuniões de oração, nada tem de que se arrepender. O pecado não precisa ser claro e evidente para que seja pecado. Por exemplo, você já duvidou de que Deus possa fazer em sua Palavra? Duvidar é pecado.
Você já comentou com alguém algo não exatamente lisonjeiro sobre outra pessoa? Fazer fofoca é pecado. Você já evitou alguém por pensar que ele pode pedir-lhe algo que não queira dar? Ser egoísta é pecado. Você já agiu de modo pouco amável com alguém? O que não vem do amor é pecado.
É difícil evitar o pecado. Por esse motivo a confissão é essencial. Quando não confessamos pecados, falhas ou erros, eles nos separam de Deus, e as orações não são respondidas. "Mas as suas maldades separam você do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá" (Is 59:2).
Uma coisa é reconhecer uma transgressão às leis de Deus; outra coisa é entristecer-se com isso a ponto de resolver não repetir o ato. Isso é arrependimento. Arrepender-se significa mudar de opinião, voltar e seguir outro caminho. Não quer dizer necessariamente que jamais voltaremos a cometer esse pecado. Significa que não pretendemos reincidir nele. Se você perceber que precisa confessar um pecado confessado recentemente e do qual tenha se arrependido, faça-o. Confesse e se arrependa quantas vezes forem necessárias para vencer essa batalha. não acolha pensamentos como: "Deus certamente ão vai me perdoar de novo pelo que lhe confessei semana passada". Ele a perdoará toda vez que confessar um pecado diante dele e se arrepender sinceramente.
Salmos 32:1 afirma: "Como é feliz aquele que tem suas transgressões perdoadas e seus pecados apagados!". Quando você se voltar ao Senhor, se arrepender e disser: "Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova um espírito estável" (Sl 51:10), poderá mudar as coisas em sua vida.
Peça diariamente a Deus que lhe mostre em que pontos seu coração não é puro e reto diante dele. Não permita que nada a separe do que ele tem para você."



Olá, gente bonita! 
O devocional deste domingo foi retirado da Bíblia da Mulher que Ora e se encontra lá no livro de Juízes 15.
Esse devocional falou muito comigo, e por isso decidi compartilhá-lo com vocês.
Preparei essa playlist para ouvirem enquanto oram após leitura desse texto: 

terça-feira, 26 de julho de 2016

Resenha: Lembranças - Série Redenção #2

Hello, gente bonita!
Semana passada postei a resenha do livro 1 da Série Redenção e hoje temos a resenha do livro #2 <3




Sinopse:
 Um profundo pesar... 

Ashley prometeu começar uma nova vida quando voltou de Paris. Porém, os erros cometidos lá continuam a assombrá-la. Ela fechou o seu coração, convencida de que ninguém poderia perdoá-la e de que os antigos amores estavam fora de cogitação. 

Mas quatro pessoas improváveis, pacientes com Alzheimer, agora cuidados por ela encontraram as rachaduras de seu interior e, lentamente, a ajudam a se recuperar. 

Uma tragédia... 
Em seguida, vem o pesadelo de 11 de Setembro. A vida da família Baxter jamais será a mesma. É o momento em que passam a se lembrar do que realmente importa na vida. É hora de tomar decisões comoventes para retomar a esperança. 

A benignidade... 
Landon Blake amou Ashley desde a adolescência, mas a mágoa de seu passado o convenceu de que ela nunca será capaz de amá-lo novamente. O bombeiro tenta aliviar a dor de sua rejeição trabalhando no resgate dos acidentados no 11 de Setembro. 

Será essa uma nova oportunidade, desta vez em Nova York, de manter-se longe e esquecer Ashley para sempre?... 

Uma história para aprender a lidar com tragédias, curar feridas e descobrir a importância de relembrar. Lembranças é o segundo de uma série de cinco livros. Nela, os autores apresentam a família Baxter, seus medos e desejos, os seus pontos fortes e fracos, suas perdas e vitórias. 

Uma família comum e com muito a nos ensinar sobre a vida. Cada livro mostrará conflitos de relacionamento, problemas do cotidiano das famílias, dos casais, dos filhos, suas alegrias e tristezas. 

Encontre a verdadeira redenção para sua vida espiritual e para os seus relacionamentos em uma das sagas ficcionais de maior sucesso dos EUA.


Resenha: Diferentemente de Redenção, primeiro livro da saga da família Baxter, a leitura de Lembranças me prendeu a partir do primeiro capítulo. 
A essa altura, imagino que todos os livros da série que virão, serão no mesmo estilo dos dois primeiros: mais narração do que diálogos. Isso já não me incomoda mais, porque me adaptei bem, mas pode ser um pouco cansativo para quem prefere as conversações.
Este segundo volume conta com um narrador-onisciente, que acompanha um personagem diferente por capítulo. Dessa vez acompanhamos a vida de John, Kari, Luke e Ashley Baxter e também de Landon Blake e Ryan Taylor.
Toda trama gira em torno do 11 de setembro, o que vêm a configurar a mistura de conflitos e tragédias em Lembranças. Os dramas dos personagens nesse livro me pareceram ainda mais reais – se é que isso é possível – porque consegui me identificar muito com Ashley e até com os questionamentos de Luke em alguns momentos.
A perfeita descrição do atentado às Torres Gêmeas provoca no leitor uma sensação de desespero, adrenalina e é impossível não se emocionar com o modo que os personagens lidaram com a tragédia. Junto a isso, vem outro dilema real no livro: os questionamentos do filho mais novo de Elizabeth e John Baxter. Com tudo o que vêm acontecendo, onde Deus está? E entra a questão onde é debatido o cristianismo x humanismo. "Acreditar que Deus não existia era acreditar que não havia sentido em nada. Trabalho, relacionamentos, filhos – tudo isso não tinha sentido. Um processo em constante mudança que não levava a lugar algum." (página 459)
Fiz essa leitura em duas semanas, porque a mesma possui uma carga emocional muito forte e eu precisava parar de vez em quando para conseguir assimilar tudo o que estava acontecendo.
Como falei na resenha anterior, cada livro traz uma mensagem que rege a história, em Lembranças, o foco é que "Às vezes, as lembranças são tudo o que temos. Tudo o que nos mantém em pé.".


  

Nome do Livro: Lembranças - Série Redenção #2
Título Original: Redemption Series #2: Remember
Autor: Karen Kingsbury com Gary Smalley
Editora: Planeta do Brasil - selo Pórtico
Número de Páginas: 496
Gênero: Ficção Inspiracional | Literatura Estrangeira | Drama | Romance
Skoob: Adicione
Avaliação:
  
Quotes:
"Ele a amava de forma decidida, acreditou nela muito tempo depois de ela ter deixado de acreditar em si mesma."
"Mas, ainda assim, sua fé não aliviaria a dor da vida diária, a incerteza do que o amanhã reservava.Não, ela não se debateu imaginando se Deus cumpriria a promessa dele de fazer algo belo a partir dos restos estilhaçados de sua vida.A questão era quando."
"A cura leva tempo, Kari. É preciso se lembrar, examinar as peças de seu passado e apreciar o que era bom, identificar o que não era. Dessa forma, você honra seu passado. Depois disso, tenho a sensação de que Deus irá usá-la para ajudar mais pessoas do que você pode imaginar."
"A vida era curta, e a morte quase sempre rápida e sem sentido."

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Resenha: Redenção - Série Redenção #1

Olá, gente bonita!
Já faz um tempo que eu terminei a leitura do primeiro livro da Saga da Família Baxter, mas como o combinado era não postar nada de resenhas no período de 08/06 a 08/07, aqui estou eu trazendo a tão esperada resenha! <3

p.s: esse livro entrou para o Book Haul de Junho, quem quiser ver o post é só clicar aqui.


Sinopse: Quando Kari Baxter Jacobs descobre que seu marido está envolvido em um relacionamento adúltero e pensa em divorciar-se, ela decide que vai amá-lo e permanecer fiel ao seu casamento a qualquer custo. Para isso, precisará enfrentar incertezas do passado e conflitos interiores urgentes. Este livro mostra como Deus pode resgatar relacionamentos aparentemente sem esperança, a importância da fé para transformar a vida e ilustra uma das principais mensagens de Gary Smalley: o amor é uma decisão. 



Redenção é o primeiro livro da série de mesmo nome. Em cinco livros, Gary e Karen Kingsbury escrevem sobre os Baxter, uma família temente a Deus e que enfrenta problemas como qualquer outra. Os livros exploram temas de relacionamento familiar, como amor, traição, mentiras, frustrações e realizações. Além do ótimo enredo e da capacidade ímpar de descrever emoções, atributos característicos de Karen Kingsbury, nos livros da série os leitores desfrutarão também de um questionário para discussão em grupo, além de notas dos autores sobre os temas levantados na trama.





Resenha: Logo no primeiro capítulo já ficamos cientes do que está acontecendo e as coisas começam a fluir em um ritmo bom e sem muitas enrolações. Apesar disso, esse foi um dos livros que mais demorei na leitura pelo fato de que as 440 páginas tem a maior parte de narração e muito pouco diálogo, que ao meu ver deixa a leitura um pouco cansativa e confesso que só não abandonei a leitura porque comprei o primeiro e segundo volume da série logo de cara não ia jogar dinheiro fora – e também por alguns erros de diagramação.
Os primeiros capítulo me incomodaram por girar em torno de um triângulo (ou seria quarteto?) amoroso, mas quando eu abri minha mente e comecei a me envolver com os dramas individuais de cada personagem, pude ver que a situação era bem difícil e dolorosa para cada um deles, não era o oba-oba que eu estava pensando no começo. E isso me fez alterar o shipp a cada capítulo que se iniciava. #TeamTim #TeamRyan
A partir do capítulo 16 – é, demorou um pouquinho – eu me adaptei também ao modo de narração e ao pouco diálogo e foi aí que agradeci por não ter abandonado a leitura e não consegui parar de ler até terminar o livro.
Os personagens são bem construídos, possuem qualidades e defeitos, todos passam por situações bem reais e mesmo o livro 1 sendo mais focado na vida de Kari, a segunda filha de John e Elizabeth Baxter, os autores conseguiram dar atenção a toda a família, sem deixar seus conflitos de lado.
Esse foi o primeiro livro que li com narrador-onisciente e foi uma ótima experiência. Além desse fato, a cada capítulo o narrador acompanha um personagem da saga, é impossível deixar de se envolver por eles – por todos eles.
Pelo que pude perceber, cada livro vai ser voltado a um dos filhos dos Baxter (são cinco, e já sabemos que o primeiro foi o da Kari, o segundo da Ashley e o terceiro que ainda vai ser lançado no Brasil, é o do Luke). A mensagem principal que aprendemos com a Kari nesse livro é que amar é uma decisão.
O final do livro foi incrível, fugindo totalmente dos clichês esperados para um romance cristão.


Outro ponto importante para abordar: eu relutei em começar a ler esse livro porque pela sinopse julguei que o mesmo transmitia uma ideia de que a mulher traída DEVE continuar em casa esperando a boa vontade do marido voltar com o casamento, mas comprei mesmo assim porque estava sendo muito falado e pude chegar a maravilhosa conclusão de que NÃO tem nada disso.
Mesmo Kari tendo permissão para o divórcio com base bíblica, ela quis continuar casada com Tim, porque ela o amava apesar da traição. Foi uma decisão dela. "Ele se tornou o homem mais cruel que poderia ser. Quebrou seus votos conjugais e fez a única coisa que daria à Kari uma justificativa bíblica para acabar com o casamento deles... mas ela não queria uma saída.
– Eu não vou lhe dar o divórcio."

  

Nome do Livro: Redenção
Título Original: Redemption
Autores: Karen Kingsbury com Gary Smalley
Editora: Planeta do Brasil - selo Pórtico
Número de Páginas: 440
Gênero: Ficção Inspiracional | Drama | Literatura Estrangeira | Romance 
Skoob: Adicione

Avaliação:
Quotes:
"Deus não havia desaparecido só porque Tim estava tento um caso. Mesmo agora, com seu mundo de cabeça para baixo e tendo de se esforçar para respirar, Kari sabia que o Senhor nunca iria deixá-la."
"Quanto piores forem as escolhas que você faz, menos ruim essas escolhas lhe parecem."
"A verdade era esta: o amor é uma decisão."

terça-feira, 28 de junho de 2016

Ouse olhar além... E enxergar a bondade do Senhor!

Eiii, eu sei que os dias estão corridos, que você anda sem tempo, que as coisas não estão fáceis. Cá entre nós: não está fácil para mim também não. Mas deixa eu te dizer uma coisa: Deus está contigo! Agora, vou te dizer outra: Deus é bom!! É, Ele é bom, Ele é muito bom! Não permita que a dureza desses dias te impeçam de enxergar a bondade do Senhor.
Sei que às vezes parece que estamos tão longe dEle, mas olhe ao seu redor: tente enxergar aí, onde você está, a bondade e a presença do Senhor. Se ainda não conseguiu, te convido a pensar um pouco sobre as coisas que por Ele foram criadas. Imagine agora uma bela praia, um jardim,uma floresta. Pense em todos os animais que você conhece, vá desde um belo filhotinho de cachorro a um imponente elefante, daquele peixinho dourado de aquário a um tubarão. Consegue perceber nestes elementos a ação de Deus? Deus foi tão bom ao criar o mundo que o criou com toda essa belíssima diversidade. Já parou para pensar no equilíbrio que há na criação? A quantidade e variedade de árvores frutíferas que nos servem de alimento, os vegetais. A composição do ar, a camada de ozônio, a água, tudo em quantidades equilibradas e perfeitas para garantir a existência de vida em nosso planeta. Pense nas leis da física, consegue perceber que maravilhoso intelecto está por trás de todas elas e por trás de todo esse equilíbrio?
"Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;" Romanos 1:20
Está vendo aí? Na Palavra de Deus, temos que o poder e a divindade do Senhor podem ser entendidas na Sua criação. Por isso, quando se sentir um pouco distante, olhe ao seu redor.

Créditos da imagem
Se, ainda assim, a bondade do Senhor parece ser algo distante, te convido a pensar um pouco em sua vida. Quando eu parei para fazer isso, notei o quanto estava sendo muito ingrata com o Senhor e que tinha muito mais a agradecer e motivos de sobra para adorá-Lo.
Pense nas pessoas que você ama e que fazem parte da sua vida. Pense nos seus amigos, nas suas conquistas. Pense nos seus prazeres cotidianos. Pense nas coisas que você gosta de fazer: tomar sorvete, andar de bicicleta, assistir ao seu seriado favorito, passar o domingo com a família, caminhar na praia... Pense nos seus sonhos. Vê o quanto Deus tem sido bom com você?
Eu sei que a vida não é feita apenas de coisas boas, por isso, convido-lhe a pensar também nas coisas ruins que lhe aconteceram, mas não pense que só porque essas coisas aconteceram que Deus não é bom. Pense nas suas derrotas: muitas delas lhe mostraram um novo caminho talvez nunca pensado por você antes e lhe apontaram uma nova conquista. Pense nas suas perdas: elas lhe mostraram que você não precisa enfrentar tudo sozinho e que sempre existe um recomeço, que ainda que seja doloroso, lhe tornaram isso que você é hoje e lhe fizeram mais fortes. Pense na vez em que algo ruim que lhe aconteceu e que você superou lhe deu o suporte para ajudar outra pessoa que posteriormente passou pelas mesmas coisas que você. Pense nas vezes em que alguém lhe deu um abraço num momento em que você precisava. Pense naquele sorriso que lhe passou segurança, pense naquela palavra amiga de motivação. Pense nos conselhos que lhe ajudaram a tomar decisões sábias. Pense em você!
Quando eu fiz isso, lembrei que talvez nem estivesse aqui escrevendo esse texto, se não fosse a bondade do Senhor. Já passei por momentos difíceis, situações de enorme risco, mas em todas elas Deus me deu o livramento. Hoje eu posso ter essa consciência e enxergar a misericórdia divina em minha vida. Mas a maioria desses episódios que estão passando pela minha cabeça aconteceram antes mesmo de eu ter a capacidade de amá-Lo. Olha só o quanto Deus é BOM!
Convido você a assistir ao filme Milagres do Paraíso e ser impactado com essa história maravilhosa baseada em fatos reais. Garanto que você não será o mesmo depois de assistir a esse filme e ficará muito inquieto com os fatos apresentados. A mãe da garota no filme cita a seguinte frase do Albert Einstein:


Eu antes estava vivendo da primeira maneira, mas agora, com a consciência que eu tenho hoje e depois do filme, prefiro viver da segunda maneira, com certeza!
Para finalizar, deixo aqui uma música que gosto muito, que fala da bondade do Senhor. Permita-se enxergar a bondade do Senhor!

"Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.
Bendize,  ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. " Salmos 103:1-2.







segunda-feira, 20 de junho de 2016

Luz do mundo?

Uma das maiores barreiras encontradas por Jesus em Seus seguidores foram suas opiniões preconcebidas. Os discípulos prestavam pouca atenção no estava sendo dito por Ele caso aquilo não estivesse de acordo com suas próprias ideias. Como por exemplo, mesmo após a ressurreição em que Jesus passou 40 dias com os discípulos falando sobre a ressurreição e o reino de Deus, o assunto que ainda predominava na mente deles eram discussões políticas, se Jesus finalmente venceria os romanos (At 1:6). 

Os discípulos passaram cerca de três anos e meio com o maior professor que o mundo já conheceu e ainda assim, tinha muitas noções erradas que precisavam desconstruir.
Quantas vezes isso também acontece conosco. Naquele tempo eles andavam com jesus, podiam vê-lo, tocá-lo. Presenciaram seus milagres e sermões, mas como nós, eles eram humanos e também erraram. Muitas vezes deixaram de crer. O negaram. Nós travamos várias batalha diariamente, é disso que se trata o grande conflito. 

Cair, se ferir, não ter forças, não levantar, desistir. 



É nesse momento de Cristo nos diz "A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza." 2 Coríntios 12:9 Ele nos separou, nos escolheu para ser diferente enquanto o mundo dita o próprio padrão, somos considerados loucos. E se os loucos forem os que se acham tão normais? Tenha orgulho de ser diferente. 

Erga-se, não se fira, seja forte, não desista, não se renda. Lute para vencer! 

Quando Jesus diz em Mateus 5:14 "vós sois a luz do mundo" Ele não quis dizer "olha, se você quiser, brilhe" ou "pode escolher brilhar ou não". 
Ele afirmou! Nós somos a luz do mundo. Que certeza mais linda! Permita-se brilhar e que de você só saiam coisas boa. Liberte-se de ideias que te cegam e enxergue, aceite as palavras de Jesus. Palavras de paz, de amor.
 
Layout criado e codificado para o blog S de sarah | Cópia proibida © 2015