extras category image
27.07.2015

Meus cartões de visita

Olá, gente bonita!!!
Hoje vim fazer um post que estou querendo fazer desde que resolvi levar esse blog a sério (risos).
 
Tomei a decisão de fazer cartões de visita porque o blog cresceu mais do que eu esperava em um mês (obrigada, Jesus!!), e é sempre bom ter um cartãozinho para entregar as pessoas que você conversa no elevador, na fila do banco, ou na hora de atravessar a rua, não é? É um jeito bem legal de divulgar seu trabalho.
 
Quando tomei minha decisão, comecei a pesquisar gráficas online com o preço bacana, e através desse post no Faltou Açúcar, decidi que faria os meus cartões na Gráfica Printi.
 
Fiz o pedido de 100 unidades e saiu por menos de R$50,00 e com FRETE GRÁTIS, galera. Saiu BEM mais em conta do que se eu tivesse feito com uma gráfica física aqui na cidade.
 
Por ter sido frete grátis achei que iria chegar estourando o prazo de entrega, mas mais uma vez a gráfica me surpreendeu.
Enviei a arte do cartão de visitas (que foi feita pela Shaira -do blog Quintal das Flores– conheça o trabalho dela e encomende clicando aqui) no dia 21 desse mês, no dia seguinte já tinham sido enviados, e chegou hoje (o prazo de entrega era para dia 31).
 
A Printi te dá um ótimo suporte na hora de você montar seu cartão e você também pode fazer com uma arte da própria gráfica, são vários modelos genéricos para o cliente personalizar. 
Eles também fornecem vários tipos de papel, impressão, tamanhos, cores, acabamentos e enobrecimentos.
 
A textura parece um plástico mais durinho, creio que seja por conta da Laminação Fosca + Tipo de Papel.
 
 
O meu pedido teve essas preferências:
 
  • Formato: 90 x 50 mm
  • Impressão: Frente e Verso
  • Cores: 4×4
  • Papel: Couché Brilho 250g
  • Acabamento: Refile
  • Enobrecimento: Laminação Fosca
Se você não entendeu esses lances de “Refile”, “Laminação Fosca” e etc., pode ficar de boa que lá no site tem explicações e tutorias sobre cada etapa, e na hora de enviar sua arte ele ainda diz se a resolução e medidas estão adequadas para um bom resultado.
 
Então se vocês decidirem fazer trabalhos gráficos, eu super recomendo a Printi, passem lá para conferir os preços e opções. 
 

Escrito por:
Sarah Nascimento
Estudante de farmácia, cheia de hobbies, entre eles a leitura. Em 2015 o S de Sarah nasceu. Um espaço para compartilhar várias das minhas paixões.

COMPARTILHE   
feminices category image
23.07.2015

Minha Transição Capilar

Olá, gente linda!!!
 
Hoje eu vim falar de todo o período da minha transição capilar.
Pelo que eu me lembre nunca gostei do meu cabelo durante toda a infância e pré-adolescência, e isso eu não aprendi em casa.
Minha família sempre me incentivou a soltar os cachos, minha mãe fazia penteados e sempre elogiavam meu cabelo dentro da família.
Quando comecei a ir para a escola ou para as casas das amigas sempre tinha alguém pra me chamar de Maria Betânia, leãozinho ou me chamar no cantinho pra dizer “Sah, prende o seu cabelo. Tá muito cheio.”, e faziam isso em tom de repreensão.
Desde então, comecei a insistir constantemente para alisar o cabelo, depois de muito encher o saco da minha mãe (desculpa, mãe), ela foi deixando eu fazer apenas escova e prancha, mas logo vi que não funcionava por causa do meu volume, o jeito era alisar… 
Passei mais um bom tempo tentando convencê-la a liberar a química, porque eu só andava de cabelo preso ou duro de tanto creme.
Em 2010 ela permitiu que eu fizesse a tão sonhada progressiva (que aqui entre nós, de progresso ela não tem NADA!), e assim continuei até 28 de setembro de 2013, quando ao sair do salão com aquele cheirinho enjoado do produto na cabeça, percebi que estava sendo escrava da química…
 
Graças a Deus, meu cabelo não chegou a ter corte químico ou ficar ralo como o da maioria das meninas que decidem passar pela transição, mas eu já estava cansada de fugir da chuva, não tomar banho de piscina e de mar quando desse vontade (porque se saísse da água e não escovasse o cabelo: MISERIQUEIMA!), sempre que lavasse o cabelo tinha que escovar e/ou pranchar. 
Isso ao meu ver era uma escravidão, e Jesus não me libertou para eu ser escrava da chapinha, ?!
P.S: Nada contra quem faz, se vocês se sentem felizes com progressiva, então façam. Mas eu não estava mais me sentindo bem. 
Foi quando comecei a pesquisar sobre voltar aos cachos e descobri o termo Transição Capilar, pesquisando mais a fundo conheci os vídeos da Rayza Nicácio e o grupo do face Cacheadas em Transição que me ajudou DEMAIS!!! Passava tardes aprendendo a como cuidar do meu futuro cabelo (haha).
Passei 8 meses fazendo texturizações de coquinhos e esse era o resultado:
Participação especial da minha amiga Belly na foto
 
Dois dias antes de completar nove meses em transição, tomei coragem e fiz o bc (se você não sabe o que é BC clique aqui para descobrir), foi amor instantâneo. 
Eu comecei a cortar sozinha no dia 31 de maio e terminei no salão no dia 1 de junho de 2014.
Não imaginava quão grande era a sensação de liberdade até passar pelo corte, eu transbordava felicidade – transbordo até hoje.
Já tenho pouco mais de um ano de BC e durante esse período eu cortei o cabelo 4 vezes e agora ele está assim:
 
O BC foi só o pontapé para minha libertação completa, deixar de se importar com a opinião dos outros foi a minha maior vitória. Não há nada melhor do que essa liberdade de ser quem você é.
Com essa nova mudança acabei influenciando minha prima de 10 anos que também fez o BC.
 
No início foi difícil e muitas pessoas chegavam em mim perguntando se eu estava sem dinheiro para dar progressiva, dizendo que é impossível voltar aos cachos depois de alisados ou dizendo que eu não ia conseguir. Sempre rola aqueles comentários também de “você estava mais bonita com ele liso”, “você vai alisar de novo”.
 
 
Para você que está passando pela transição, meu conselho é: ignore esses comentários. Se a raiz alta está te incomodando procure formas de disfarçar (aqui tem um post sobre isso), abuse dos turbantes e acessórios, e seja feliz. Não deixe que te influenciem. Você saberá a hora de fazer o seu Big Chop.
 
Fiquem com Deus, não desistam e tenha uma excelente quebra de padrões! Hahaha

Escrito por:
Sarah Nascimento
Estudante de farmácia, cheia de hobbies, entre eles a leitura. Em 2015 o S de Sarah nasceu. Um espaço para compartilhar várias das minhas paixões.

COMPARTILHE   
entretenimento category image
20.07.2015

TOP 5: músicas favoritas do momento

Oi oi, gente bonita!!! Já tava com saudades de “ocês”, hahaha.
 
Ultimamente eu tenho escutado M-U-I-T-O algumas músicas que declaram o meu amor e os meus sentimentos por Deus!!! 
 
AMO músicas que expressam os meus pensamentos dessa forma, então fiz um TOP5 das minhas favoritas plus uma música extra que ouvi pela primeira vez na madrugada de domingo e não consigo parar de ouvir.
  Fiz essa playlist com carinho, espero que gostem.
 
 
P.S: de 1 a 5 a ordem é aleatória, a sexta música é a que conheci por último e toca muito (o tempo todo) aqui em casa.

Escrito por:
Sarah Nascimento
Estudante de farmácia, cheia de hobbies, entre eles a leitura. Em 2015 o S de Sarah nasceu. Um espaço para compartilhar várias das minhas paixões.

COMPARTILHE